Mães estão deixando de levar crianças em cadeirinhas com medo da violência no RJ

0
705

O medo da violência tem feito muitas mães mudarem de posição nos carros e irem no banco de trás justamente para conseguir agir mais rápido em um caso de assalto, como o que aconteceu em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.
Algumas mães já estão deixando de sair de carro sozinhas com as filhas, com medo de terem o carro roubado e não conseguirem tirar as crianças da cadeirinha a tempo. Por isso, elas preferem ir no banco de trás, ao lado da cadeirinha, enquanto os maridos dirigem na frente.
“Ele vai dirigindo na frente, de chouffeer. Eu vou atrás com ela. Ganhou até esse apelido”, disse Indaiara Santos, economista.
“Quando eu estou sozinha, eu tenho medo, então a gente já ensinou a ela que deve soltar o cinto, abrir a porta do carro, deixar tudo o que tiver pra trás, não gritar, não chorar pra não chamar atenção, que a gente não sabe a reação dos assaltantes. Tudo isso é uma preocupação”, disse a advogada Andrea Kudsi.
Em uma simulação para ver quanto tempo uma das mães, que estava no banco da frente, demora para pegar a filha, que está na cadeirinha no banco de trás, elas levam nove segundos.
Um caso em especial chamou muita atenção há 10 anos, em Oswaldo Cruz, na Zona Norte do Rio. Bandidos roubaram o carro onde estava o menino João Hélio, mas a mãe não conseguiu tirar o filho do carro e ele foi arrastado por sete quilômetros e morreu.
Naquela época, a juíza do caso, Adriana Angeli, não era mãe, mas desde o nascimento dos filhos, ela enfrenta um dilema.
“Eu me lembrava muito disso, o risco de você prender o seu filho na cadeirinha porque no momento de assalto ou alguma necessidade de fuga rápida você tem dificuldade de retirar a criança da cadeirinha. Você fica analisando os riscos. O que é mais provável de acontecer? Um acidente grave no perímetro urbano ou o risco de assalto? Assaltos aumentaram muito e a gente fica pensando em não conseguir tirar a criança da cadeirinha”, disse Adriana.
Levar crianças no carro sem a cadeirinha é infração gravíssima. Para o psiquiatra Jairo Werner, outra infração é passar o nosso medo pros filhos.
“Nada justifica deixar de usar a cadeirinha. As crianças aprendem com a imitação como lidar com situações difíceis e situações de emergência, então é realmente observando a reações dos pais como é que eles se acalmam com essa situação que eles vão internalizar esses pais e vão usar naqueles momentos e vão usar nos momentos em que precisam se socorrer sem a ajuda de alguém”, explicou o psiquiatra Jairo Werner.

 

Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/maes-estao-deixando-de-levar-criancas-em-cadeirinhas-com-medo-da-violencia-no-rj.ghtml

Deixe uma resposta