Falta de apoio à assistência técnica foi tema da abertura da AgroTecnoleite

0
156

https://pbs.twimg.com/media/Dd5fr5SV0AEp6mx.jpg:largeTexto: Nayara Pereira

Considerado o quinto colocado no ranking de produção de leite do Brasil, Goiás ainda tem muito para evoluir. A observação foi do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, nesta quarta-feira (23), durante a abertura da 8º edição da AgroTecnoleite Complem, principal feira de negócios do leite de Goiás, que será realizada até o 25 de maio, no Centro Tecnológico da Complem (CTC), em Morrinhos (GO). Durante a solenidade de abertura, José Mário que também é presidente do Conselho Administrativo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), fez questão de destacar a importância econômica do leite no Estado e o quanto ele ainda pode crescer com assistência técnica de qualidade.

José Mário discursou ao lado de autoridades e representantes da agropecuária goiana fazendo questão de citar a falta de apoio a assistência técnica como um dos maiores desafios do setor. Para ele, a falta de informação e de acesso às novas tecnologias dificultam o aumento da renda e a formação de um olhar mais apurado em relação às novas demandas do mercado. “Estou falando de apoio para o homem do campo dentro de uma realidade onde apenas 20% dos produtores rurais recebem visitas regularmente de um técnico. Não há assistência com foco na gestão técnica e econômica de propriedades rurais”, ressaltou o presidente da Faeg.

José Mário falou sobre a importância de discutir modernidade e tecnologia com os produtores de leite em Goiás. “Eventos como esse fazem com que as novas tecnologias, inovação e ciência como um todo possam ser aplicadas no meio rural. Com isso os produtores irão conseguir alavancar a produtividade na fazenda. Quem vem até à AgroTecnoleite tem a oportunidade de conhecer o que há de melhor para o setor”, disse.

Carga tributária 

O presidente da Faeg também destacou apoio aos caminhoneiros pelo movimento de redução da carga tributária que eleva o preço dos combustíveis e de todos os insumos do sistema produtivo. “O setor rural também sofre com os aumentos contínuos do preço dos combustíveis, que impactam diretamente os custos de produção e transporte. Esta situação prejudica a competitividade dos produtos brasileiros, especialmente de Goiás, que longe dos portos e sem outros recursos multimodais de transporte, pode inviabilizar toda produção”, enfatizou. 

Sistema Faeg Senar na AgroTecnoleite 

Em um espaço próprio, o Sistema Faeg Senar vai realizar diversas atividades como palestras sobre avicultura básica e pecuária intensiva de baixa emissão de carbono, reuniões de comissões e oficinas sobre adestramento de cães para pastoreio, gado de leite, hidroponia, processamento de cana-de-açúcar – melado e rapadura, transformação caseira de carnes suínas ao longo dos três dias de feira.   

Sobre a feira

Nestes oito anos, a trajetória de crescimento da feira acompanhou a evolução do mercado e o aumento na produção de leite do município. Morrinhos se mantém entre os cinco municípios com maior produção de leite em Goiás. A pecuária de leite está presente nos 246 municípios do Estado de Goiás. Embora seja uma atividade primária, a cada ano mostra avanços, com a adoção de tecnologias e práticas de manejo, isso resulta em um produto de melhor qualidade ofertado para o mercado. Nesta oitava edição da AgroTecnoleite Complem, além das novidades tecnológicas relacionadas à pecuária de leite que são apresentadas a cada ano, a feira apresentará uma série de novas ferramentas voltadas para agropecuária com um todo. Vão ser contempladas no evento, as pecuárias de leite e corte, e, a produção agrícola. Porém, o principal foco da feira continua sendo a progresso da produção de leite, de modo que resulte em maior rendimento para o produtor.

Fotos: Fredox Carvalho

Deixe uma resposta